31 de março de 2009

Instigação 2




Entrei em casa, passos lentos, ar tenso…muito tenso, estava impossível descontrair, mas não podia ir directo ao assunto…o impacto seria desastroso, não seria justo…mas quem sou eu para estar aqui a falar de justiça…?!
- Boa noite, querido…
Quis responder tão depressa que a minha voz falhou…gaguejei…mas em seguida fiz de tudo para que o meu tom de voz se permanecesse isento de variações, e tentei comportar-me o mais natural possível, com sucesso, julgo…
Terminado o jantar, ela pediu-me que recolhesse a loiça como de costume…respondi de forma afirmativa, mas ridiculamente a minha voz tornou a falhar, mas ela não esboçou qualquer atitude de repreendimento ou admiração.
Por fim, deitados…ela acabara de ler mais um capítulo do seu Romance, parecia entusiasmada, porém o sono agora é que falava mais alto e, aos poucos foi-se aconchegando e aninhando a mim, tão encolhida que nem conseguia ver a sua face.
- Amo-te… - despediu-se ela com uma voz abafada.
Nessa altura já eu estava banhado em lágrimas, de tanta dor. Sofrendo em silêncio, apertei-a carinhosamente e retribui-lhe o sentimento com um “Amo-te também”, falso aos “teus” olhos, mas incrivelmente sincero, aos meus…
Ela serpenteou na cama, de modo a acomodar-se e adormeceu de seguida, não se apercebendo de nada de invulgar no meu rosto, nem no meu tom de voz…

10 comentários:

Anónimo disse...

Então e depois? que aconteceu?

Julia disse...

como eu te percebo...

Anónimo disse...

ja houve uma época em que pensava que quem trai nao pode amar a pessoa com quem tem uma relaçao, estavel e feliz...mas depois, vestindo esta pele, percebi que é possivel. E dói! Dói...

ZapporssoN_81 disse...

complicado exe triangulo. Vivê-lo em cada um desses angulos é kk coisa...

Anónimo disse...

trair não significa nao amar, e a dor que se segue...

Catarina disse...

Proximo capitulo.

Anónimo disse...

Trai a nossa mulher, trair a confiança em nós depositada, trair os nossos amigos, trair em pensamento, trair em acção. mas trair.

É certo que ouvir o perdão alivia, mas por experiência própria, não há perdão que nos faça esquecer ou apagar a merda que um dia fizemos.

Caímos num buraco, mas por mais que nós pensemos que de lá saímos, e por mais que quem nos perdoou pense que nos tirou de lá, nunca tal acontecerá!

Porque tal como quem perdoa nunca esquece e ficará para sempre com a cicatriz de uma ferida profunda de uma facada dada por nós dada, nós também para sempre ficaremos com uma mancha de sangue na faca, e que será sempre apelidada de suja por que a viu espetar-se nas suas costas...

Não há amizades perfeitas, não há amores perfeitos, apenas uma coisa é perfeita, e "intraivel".

Aquela paixão inicial...

Fan do video Interrail disse...

Mais mais mais!

Anónimo disse...

Triste história esta...

Virgilio disse...

Depois que aconteceu??
conta , puto!