19 de janeiro de 2009

Silêncios



E será assim, que sem me aperceber, ele vai chegar...
O dia.
Contigo irei de braço dado, só nós dois, na companhia de todos os que nos rodeiam...
Os pensamentos.
Debaixo de um guarda-chuva, encostados um no outro, aqui e ali.
Trocamos um apertão,
leve,
porque, só isso basta.
Assim vamos andando, num silêncio mudo e surdo que ambos toleramos como de se um diálogo se tratasse.
Quando assim for, saberei que para sempre será.
Porque,
Se lá fora chove contínuo, cá dentro bate o sol, e é de chapa.

3 comentários:

Pipabagagrifas disse...

só é pena não saber o autor da fotos :S

Mas que tem qualidade lá isso tem :)

Nada melhor para aquela magnifica citação!!!

Ana. disse...

Um dos maiores sinais de intimidade é saber conversar em silêncio.
Lindo!

;)

Tânia disse...

Viva Mourelos e o youtube =D*