6 de novembro de 2008

Agora ... olha

Agora?
Está é na hora, do gorro e do cachecol!
A camisola quente e um casaco daqueles que corta bem, o frio.
Luvas, bem acamadas. Mas com as mãos nos bolsos... do casaco não, das calças, e de ganga!
Apanhar o comboio e ver a cidade passar. As crianças que com o nariz vermelho pedem as prendas para o natal e os pais que com falar autoritário gastam a palavra não.
Os pedintes que abanam insistentemente um copo de cartão e os cegos que fazem música contra os bancos e a favor do chão.
As noites às 17h30, e o cheiro a castanhas assadas, que vem la de dentro do velho carro de latão.
A respiração que sai das bocas e aquela boca que apetece deixar de ver respirar, não sei, talvez num acto de coragem, se alguém a beijar.
A vizinha que vai à janela, não pela curiosidade, e muito menos para se mostrar, mas apenas para saber o quanto quente ela está lá dentro.
Depois?
Vêm as mantas no sofá, os chocolates e os filmes...
As tardes de domingo, as pantufas e os pijamas, aqueles há que não se esquecem dos roupões e não há cama que não diga o "sim" aos lençóis de flanela.
Os sonhos, esses bem quentes, de preferência com chuva, muita, mas sempre do lado de fora!...

2 comentários:

A. disse...

E aqueles dias de nevoeiro que nos fazem sentir que estamos num mundo etéreo e mágico? Para mim são o melhor do Inverno...

;)

Anónimo disse...

e akelas alturas k gostava de te ter a meu lado para me cortares a respiração e poderes m cobrir nos teus braços para me aqueceres do frio...talvez era preciso mesmo um acto de coragem...