14 de junho de 2008

A idade dos porquês


Porque é que o tempo já não passa tão devagar, porque é que o tempo vai passar ainda mais depressa, porque é que já não tenho aqueles fins-de-semana, porque é que já não me apaixono com facilidade, porque é que magoa não ser correspondido, porque é que magoamos por não corresponder, porque é que já tenho a vida programada até ao final do ano, porque é que já não arranjo mais amigos, porque é que já não quero arranjar mais, porque é que reparo que os meus pais estão a envelhecer, porque é que eu não lhes digo que reparo, porque é que na minha cabeça continuo convencido que tenho dezoito anos, porque é que tenho a impressão que daqui a vinte anos estarei convencido do mesmo, porque é que trabalho mais do que preciso, porque é que o faço se ninguém o reconhece, porque é que o faço se nem eu o reconheço, porque é que desesperamos numa fila, porque é que não compreendemos o desespero de quem espera quando somos nós que atendemos, porque é que um de cada vez é pouco, porque é que três duma vez à espera de vez são muitos, porque é que o nosso problema é sempre maior que o dos outros, porque é que nunca ajudamos, porque é que queremos sempre ser ajudados, porque é que juramos ter fé quando precisamos, porque é que quando estamos bem gritamos bem alto que fé não existe, porque é que já não sabemos existir sem telemóvel, porque é que dantes éramos mais felizes sem ele, porque é que as primaveras já não cheiram a amarelo, porque é que os outonos se vão esquecendo de cheirar a terra molhada, porque é que já não apontamos ao arco-íris, porque é que já não vemos animais nas nuvens, porque é que nos esquecemos de quando os víamos, porque é que apenas o futebol une um país, porque é que apenas aí damos um abraço a um desconhecido, porque é que queremos ter tudo, porque é que quando temos tudo ficamos com a sensação que não temos nada, porque é que eu continuo a escrever, porque é que vocês continuam a ler o que escrevo, porque é que isso me faz sentir melhor, porquê?

5 comentários:

carolina disse...

Gostei muito. E quem me dera ter resposta nem que fosse apenas para algumas das tuas perguntas. Tens toda a razão, fazemos as coisas mm kando n kremos, eskecemo-nos de parar e ver o k nos rodeia, e quando o vemos não o reconhecems.Tu perguntas porque é que ainda lemos o que tu escreves, eu respondo por mim, porque me identifico com muita coisa que tu aqui escreves, porque muitas vezes os teus textos me ajudam a sorrir.beijo

Anónimo disse...

Porque?...
Potque cresces-te...
:) *

scatman_tony disse...

Epah...essas perguntas são complicadas...as respostas ainda mais...

Sara LóLó disse...

Bem... Isso é daquelas coisas a que se responde "Só Deus sabe..."

Edelweiss Nichtkessel disse...

Porque ao virar de cada vírgula está um ponto de interrogação... porque no tempo de cada pausa está o infinito... porque os pensamentos te correm nos circuitos entrelaçados interdimensionais e ficas ainda parado a tentar perceber quem és!

Nota: Usos do porquê
1-Porquê
2-Por quê
3-Por que
4-Porque
(just in case we need an option)