19 de outubro de 2007

A dramática história esperançosa do Homem


Eram momentos em que tudo parecia não bater certo, ela receava qualquer tipo de situação, principalmente as desconhecidas.
- Arriscar…? Nem pensar…
Sonhava, é certo, idealizava um destino brilhante, com todas a condições básicas e necessárias para uma vida perfeita, ao lado de alguém capaz de responder a todas as suas solicitações.
Bonito de pensar, mas pouco fazia para o concretizar, as suas relações eram fugazes, recusava-se a entregar de corpo e alma a quem quer que fosse, e não hesitava um instante sequer em apresentar o seu estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa…o MEDO!
- Será que o azar me persegue…?Vou à bruxa…
Agora sem objectivos, sem iniciativa própria e sem motivação, resta-lhe ficar ali sentada a aguardar que o seu futuro seja decidido pela leitura das linhas da sua mão.
A busca por uma vida perfeita, um emprego de sonho, um par ideal, os filhos, aquela magnifica casa, um automóvel potente, as roupas da última moda…enfim, parece que estamos todos condicionados pelas rotinas da vida.
Mas afinal quem é que inventou as etapas da vida… seja quem for, se algum dia disse:
- Nasce, cresce, estuda, forma-te, arranja casa e só depois casa-te e deixa descendência, deve-se ter esquecido de acrescentar que era apenas uma simples sugestão…não era para ser traduzido à letra…

1 comentários:

Filipa Açoriana disse...

realmente trata-se só de uma sugestão, que muitos seguem por ser a mais comoda forma de seguir a vida... bj