8 de setembro de 2006

Final de tarde no Rio de Janeiro

Era mais um dia de calor abrasador naquela cidade.
Ambos conduziam na avenida principal, e ele procurou forçar a coincidência.
Abrandou a sua marcha na esperança de que ela passa-se por si.
A coincidência aconteceu e ela sorriu.
No próximo cruzamento, os seus caminhos eram diferentes. No entanto, ele não conseguiu mudar de faixa de rodagem.
Afinal de contas “ela tinha sorrido...e ele foi atrás”
Deixaram-se seguir até uns metros à frente quando ele lhe deu indicação para encostar.
Ambos pararam os seus carros.
Como que num acto de controlo, o Cristo Redentor lá de cima espiava todos os movimentos destes dois.
Falaram sobre as difíceis escolhas do passado, mas não podiam deixar fugir a mais difícil delas todas... a do futuro...
Quanto ao presente, não foi possível escolher, tal como ele não pudera momentos antes... Afinal de contas ela sorria!

Agarrou nas mãos dela.
Encostou-a ao seu carro.
O tempo parou, e por momentos prolongou a hesitação de um beijo... do ultimo beijo.
Tão verdadeiro quanto o primeiro,
Tão inesperado quanto o primeiro,
Tão viciante quanto o primeiro...
Tão impossível de contrariar quanto o primeiro.

1 comentários:

Laudinha disse...

PADINHO!!!! Cá tou eu a comentar mais um momento de inspiração do meu PADINHO pois de facto por vezes há que tomar decisões difícies e que por vezes podem até comprometer a nossa mesma estabilidade.. mas a vida é mesmo assim... =)Feita de escolhas e decisões...
Por muito que por vezes custe não vale a pena olhar para trás e pensar no que foi e no que poderia ter sido se a escolha fosse outra e não aquela que fizemos pois tudo na vida tem um significado e nada acontece por acaso..... nós por vezes é que não entendemos logo isso....!!!! =P Beijinhos da tua afilhada que GOTA MT DE TI Laudinha!!! =)