11 de setembro de 2006

Direito da escolha no 11 de Setembro

A discussão do dia anterior, em nada alterou as suas últimas palavras.

Minutos antes, terá ligado à sua mulher a dizer o quanto a amava, a dizer o quanto ela era importante para si, a dizer para olhar pela sua filha...a dizer que tinha que desligar...


Enfrentar o ruído consumidor das chamas, ou optar pela agonia de um voo tranquilizante.
Ao menos ele teve direito a escolha.

Terá ele escolhido?

2 comentários:

Laudinha disse...

Bem PADINHO como tu disseste pa eu escrever "sem comentários" aqui vou eu comentar.. lololol =P

De qualquer dos modos se analisarmos bem a questão ele escolher escolheu sempre pois se não tivesse saltado teria sido consumido pelas chamas e assim morreria na mesma e teria sido uma outra forma de escolha.. logo isso leva-me a crer que qualquer que fosse a sua opção seria toda ela uma escolha mesmo que sendo a última e das mais difícies de tomar pois á partida tinha como certo naquele momento a morte..!!!

Agora quais terão sido os seus pensamentos durante o seu agoniante voo tranquilizante como tu PADINHO tão bem o (ao voo..lol =P)adjectivaste....??? Isso de certo NUNCA saberemos... Beijinhos gandes da tua afilhada preferida que GOTA MM MT DE TI ***Laudinha***

Cisbela disse...

Na minha opinião ele não
teve escolha era o mau ou o
pior .
Que descance em PAZ.