16 de julho de 2006

Brisa


Acordei! Cheguei à janela e deparei-me com um bonito dia de Sol.
A brisa que sobrava lá fora dizia-me que hoje era um dia de bons acontecimentos!
Preparei-me para sair… no carro o coração já batia a mil!
Mas que era isto?!?
Parecia uma criança… até parecia que era o primeiro encontro que ia ter com uma rapariga.
Liguei o motor e ganhei coragem para arrancar.
Quando a vi entrar no carro, foi como da primeira vez que a vi! Simples, sem dar nas vistas, mas no entanto deslumbrante com a beleza que a caracterizava.
Para falar a verdade nada de extraordinário, mas um top azul-bebé e umas calças de ganga cobriam o corpo lindo que tinha o condão como nós homens dizemos que nos prende.
Na rádio tocava Coldplay, uma daquelas baladas lamechas que nos fazem pensar na vida. No entanto, a minha atenção ia toda para a conversa que progredia alegremente, saltando de assunto para assunto até nos fazer perder a noção do tempo e do espaço.
Só agora me lembro que lá ao fundo tínhamos um cantinho do “meu mar” a olhar para nós quando os nossos lábios se tocaram…
O tempo parou e aquele momento ia ficando gravado nas nossas memórias com todos os pormenores quando algo o parou!
Algo que não podia ou não queria que “aquilo” acontecesse…
Nesse momento soube que a brisa que corria me tinha enganado!

2 comentários:

Ricky disse...

Devo dizer que não estava nada à espera de te descobrir a escrever assim! Talvez eu não considerasse essa hipótese enquanto me dás porrada a jogar a bola mas agora fiquei surpreendido pela positiva!
Eu não votei, mas se votasse votaria entre a supremacia literaria e o ta la!

Continua assim!


abraços[[]]

zana disse...

A dimensão do dia transforma-se na dimensão da hora, e a dimensão da hora na espera de que o sonho que se está a viver se transforme em realidade estagnada, em que o tempo pára para sempre, para que fiquemos felizes no momento...

Mas nem tudo pode ser assim, e o tempo teima em andar para a frente, e obriga-nos a 'descongelar'. Tentamos então que, pelo menos, aquele momento fique guardado numa bela tela, envolta em magia e suavidade, para que possamos lá voltar para sermos novamente felizes...