10 de julho de 2010

Será hoje o dia?



Acordar com o tic-tac do meu coração, após horas de sonhos contigo, sem sequer ter adormecido, é como tocar na comissura dos teus lábios com os meus, e deixar-me levar por esse sabor tão suave e tão doce como as pipocas do circo…estranha realidade…pura magia…
Mas a nossa distância é como uma repreensão de um pai…profunda e sentenciosa que faz tremer cada um dos nossos ossos. Tento agarrar-me ao ramo firme do meu sentimento puro, enquanto tu deslizas de cabeça para baixo no escorrega da tua indecisão…
Quero que me encontres e que passeemos na orla do mundo, quero comunicar contigo num silencio tão doce como uma tempestade de margaridas, quero mostrar-te que todos os traços do meu rosto entram em acção quando te aproximas, quero explicar-te que abruptamente apercebi-me que, afinal, o amor, fui eu que inventei…
Não vou mais negar o meu rumo e o meu destino, não mais remarei contra a maré do meu instinto, pois essa é uma conduta desviante das normas do meu coração…
Será que um dia vou amar sem medos e cuidar do coração que mais gosto…o meu…???




Dedicado a todos aqueles que, por uma razão ou por outra, amam incondicionalmente e são amados sem saber…

6 comentários:

Anónimo disse...

nao mais remarei contra a maré.. tãO BOm!

desejo disse...

E hoje, peguei na Happy Woman levei-a para a esplanada do café e, ao chegar à página 66, encontro-vos.
O blog parece ser muito simpático. Virei lê-lo com mais tempo.
Adicionei-o.
Parabéns.

Este post, em particular:
"Será que um dia vou amar sem medos e cuidar do coração que mais gosto…o meu…???"


Nós, mulheres, também amamos com medos, muitos medos.Estes medos impedem-nos de vencer a maré.




:) Diana

Anónimo disse...

Sempre achei que era forte! Nada nem ninguém me conseguia desviar dos meus objectivos, dos meus sonhos.
Medo, era uma palavra que não constava no meu dicionário. Não fazia sentido. O medo tira-nos a força de perseguir, a vontade de nos levantarmos e lutarmos durante mais um dia.
Mas, foi no momento que menos esperei que esse medo apareceu...
Numa conversa de café, alguém muito especial disse-me: " O medo existe sempre na primeira vez, na primeira vez que se vai a escola, na primeira vez que se estaciona o carro, na primeira vez que se perde alguém,,,".
O medo está simplesmente escondido na rotina do nosso dia-a-dia e aparece nos momentos mais importantes e mais marcantes. Por isso, espero que nunca deixes de amor sem medos.
Nunca conseguirás amar, nem cuidar bem de outro coração se não cuidares bem do teu...

De alguém que gosta muito de 1 e dos 3...

Tatiana disse...

Meu coração sempre esta desarmado, pronto pra amar incondicionalmente, entrego-me, pulo de cabeça! Mas pra que pra quem? Cansei desse amor vagabundo em que me considero largada no mundo!
belas palavras

Maçã e Canela disse...

Lindo Post=)

Anónimo disse...

sou um alvo de braços e peito aberto à espera do teu disparo...

beijo luar

M&M