27 de outubro de 2009

Turvo




As coisas que podemos ter, ser ou ambicionar, acabarão aos poucos por nos fugir apressadamente pelas brechas imperfeitas de uns dedos que não conseguimos unir.
É água que nos escapa, como pensamentos fugidios, atrás de acções pensadas demais, mal pensadas, ou mesmo até aquelas irreflectidas.
Olhar para um real que não é nosso, nem nunca será.
Subir, sonhar, querer?
Para amanhã caminhar ensombrados pela monotonia cortante de um pensamento a sós?!
Um pensamento fixo numa calçada empedrada, que às golfadas, nos vai conduzindo para trás de um caminho trilhado sem destino aparente.
Andar, apenas... até nos tornarmos em apenas mais um. Um que procura freneticamente por uma rede de segurança para o agora, para hoje, para o dia em que decidir voltar a subir , sonhar e não quiser voltar. A cair...

K's Choice - Not an Addict

4 comentários:

Anónimo disse...

Quanto mais pensas-te, menos acertas-te.

littledreamer disse...

Une os dedos com força... pensa... reflecte... porque sem o pensamento as acções desvanecem-se...tenta que o pensamento se funda com as emoções e com os desejos e irás encontrar a equação certa para um dia conseguires subir .... sonhar... e encontrar o equilibrio para não voltares a cair...

Anónimo disse...

Se me deres a mão, eu ajudo-te a levantar

Anónimo disse...

Não há coincidências... adoro esta música e a forma como transmites o que sentes... com o olhar... não só quando olhas para mim... mas também como vês o mundo!