14 de maio de 2008

Gasolina... Onde vamos parar?



Começa a ser preocupante a notícia constante de subida dos preços de gasolina aos três centimos de cada vez.
Talvez mais preocupante ainda é a nossa despreocupação para com tudo isto.
Irritame-me ouvir as publicidades da maior gasolineira na rádio e TV a passarem insistentemente, e irrita-me ainda mais o facto de essas mesmas publicidades serem pagas por nós, se repararem, não é por acaso que as gasolineiras que mais publicidade fazem são as que apresentam preços mais altos.
Já há muito que deixei de abastecer nos postos de gasolina respectivos, e aconselho que todos façam o mesmo, uma vez que está mais que visto que a qualidade da gasolina não é inferior.
No entanto, aproveito para aqui deixar escrito e me lembrar, sempre que me sentir mais tentado: a partir de hoje apenas irei utilizar dois meios de transporte para o meu local de labuta diária, a bicicleta ou autocarro...

(e não, esta decisão não foi precipitada pelo facto de hoje me ter deslocado ao médico dos automóveis e este me ter dito que a receita para o alternador do meu veículo estragado custar na farmácia cerca de 180€, sem qualquer direito a comparticipação, e ainda fora os custos da consulta!!!)

1 comentários:

Crispi disse...

Lol... o problema não está no preço da gasolina mas sim nos hábitos das pessoas. O comodismo é uma nova praga que se alastrou na vida das pessoas. 80% dos carros nas cidades estão ocupados apenas com 1 pessoa!! Se é preciso que a gasolina aumente para que as pessoas mudem os seus hábitos como tu, acho muito bem. Até porque hoje em dia os transportes publicos oferecem boas condiçoes.
E não faças nenhum drama porque de casa ao teu trabalho são 4 km no máximo. O ambiente agradece e espero que mais pessoas sigam o teu exemplo.

ps: se andasses de mota conseguias conciliar toadas as vertentes: eras amigo do ambiente, não gastavas muita gota e não tinhas problemas de transito