28 de agosto de 2007

Era uma vez...

Hoje é dia de arrumações! É dia de deitar fora o velho, organizar o que interessa e dia de me surpreender com aqueles pequenos achados, que há muito damos por perdidos.
No meio de tanta papelada encontro la um papel mal dobrado que a avaliar pelo pó já tinha uma boa quantidade de anos em cima...

"Tenho saudades da tua presença
Tenho saudades de sonhar
E porque sonhar não é pecado...
Deixa-me sonhar contigo.
Nesta 3ª, 4ª ou 5ª feira, pode ser?
Se me deixares sonhar,
Prometo que te levo comigo.
Só não te prometo trazer...
Porque acordar,
Custa muito mais quando se sonha contigo...
Mas é isso que me faz feliz,
Porque sei que nesta vida, um dia sonhei
E se sonhei, vivi!
A vida é para se viver ao máximo
E para vivê-la assim...
Só mesmo estando a teu lado,
Vendo-te sorrir."

Pode não ser nada de especial agora, mas na altura até foi sentido.
É estranho quando se olha para trás com anos e anos de distância, e recordamos estes estados de plenitude.
Faz-nos lembrar que não andamos aqui a passear, que também já tivemos as nossas aventuras, riscos e desilusões...
Cada vez mais me convenço que a memória é uma das maiores riquezas que temos.
Enquanto tivermos capacidade para recordar, vamos tendo capacidade para viver...

2 comentários:

Anónimo disse...

bonito poema...e bom recordar bons momentos...pois recordar e viver...e sonhar leva-nos alem das das questoes sem repostas mtas das x...so se sobermos desifera-las...alem dixo n impornta o tempo k passa pk as boas recordaçoes ficam gravadas na mente e no coraçao k levam a saudade...
todos nos temos sp a nossa parte sensivel e filosofa...
beijinhos****
ass. elisabete

Sara LóLó disse...

É tão bom recordar...