18 de maio de 2007

H2O

Há 40 anos atrás?
Há 40 anos atrás eu digo-vos como era.
Não havia água canalizada. Havia uma cisterna, uma espécie de poço, colada a cada casa da aldeia, que servia de reservatório para as águas das chuvas vindas do telhado durante os invernos rigorosos.
De manhã o mais novo da casa saía à rua, e dirigia-se à cisterna. Atirava um balde preso por uma corda, e puxava-o quase sempre a meio-cheio, a força também não dava para mais.
Com a ajuda do joelho lá conseguia transportar o balde até casa.
Lá dentro à espera estavam dois pais e quatro irmãos.
Dava-se então início ao ciclo.
A água era colocada numa bacia onde todos lavavam a cara. Chegada a hora das refeições, todos comiam juntos. Em casa ou no campo a gente à "mesa" era sempre a mesma. As mãos, essas eram lavadas na água que fora das suas caras. Ao anoitecer e depois de um dia a arrancar batatas todos tinham direito a lavar os pés com a água que horas antes fora das mãos.
Chegava a noite e com ela, o dever calhava agora à mais velha.
Lavar o chão.
Com que água? Com a água que momentos antes lavou pés.
A barriga já estava cheia, uma sopa quente com as couves do quintal naquele tempo fazia maravilhas.
Esgoto não havia. Rega muito menos... Como eram regadas as couves do quintal?
Com água que antes lavou cara, mãos, pés e chão... de 7.
Hoje quando lá vou, ainda vejo a marca da corda cravada na pedra, tanto foi o seu roçar.
Devem ter sido tempos dificeis, mas desconfio que daqui a 40 anos serão bem piores

1 comentários:

Sara LóLó disse...

Hoje em dia, a água está tão perto, tão acessível, que as pessoas já se esqueceram de lhe dar valor. A verdade é que, como dizes, daqui a 40 anos as coisas poderão ser piores e, aí, vão-se todos queixar de todos os seus exageros.

Falas de há 40 anos atrás, mas essa, infelizmente, ainda é a realidade da criança da imagem e de muitas outras suas conterrâneas. Talvez para essa pessoas ainda seja pior, porque em muitos desses países o calor é muito maior e quanto a invernos muito chuvosos, penso que a maior parte desses países não é contemplada com essa benção, muitas vezes indesejada.