19 de outubro de 2006

Haverá algum dia

Haverá algum dia em que andaremos juntos
Como pescador em alto mar?
Haverá algum dia em que estaremos tão distantes
Que eu não tenha de te procurar?

Haverá algum dia sem discussão
Em que só haja um silêncio calado?
Haverá algum dia em que brilhe o sol
Sem que tu o tenhas guardado?

Haverá algum dia em que não importe o nome
Sem que te esqueças do seu chorar?
Haverá algum dia em que não sinta a cara
Como se o mundo estivesse a acabar?

Haverá algum dia em que esqueces o perfume
Todas as suas cores, risos e formas?
Haverá algum dia que mandes para trás
Todas as tuas regras princípios e normas?

Haverá algum dia em que o Inverno se esqueça
E pelo sol se deixe roubar?
Haverá algum dia em que tudo seja avesso
E eu por ti me deixe enganar?

Haverá algum dia em que eu te apague
Sem te guardar num canto da mente?
Haverá algum dia em que conscientemente
Eu te vá buscar atrás do inconsciente?

Haverá algum dia em que volte atrás,
Atrás da vida dum podre esquecido?
Haverá algum dia em que eu seja água
Um dia gelo... por ti aquecido?

2 comentários:

Laudinha disse...

OLá Pedrinho! Xiii que momento de inspiração.... realmente só alguém como tu ESPECIAL lol =P para escrever algo deste género!!

Nota-se granda nostalgia... vê lá não deprimas...lololol :P Bjinhos gandes!! ***Laudinha***

nexinha disse...

so te digo uma coisa... momento de inspiraç
ao ou não...tu tens o dom da palavra...e mto sentimento dentro de ti...aproveita-o... no more comments... adorei... *