2 de junho de 2006

Defensor dos pobres e oprimidos por um dia


Hoje resolvi dar numa de "defensor dos pobres e oprimidos".
Estava parado no trânsito da IC19 e experimentei dar prioridade de vez em quando aos automóveis que vinham das vias de acesso.
Era ver a cara de felicidade dos condutores.
Sabe bem fazer isto de vez em quando, espalhar um pouco de boa disposição no meio de um engarrafamento.
Quando já tinha feito esta boa acção umas duas vezes, apercebo-me que à terceira, ao dar passagem a um condutor, vieram logo mais dois lampeiros atrás. Sim, lampeiros é o termo! Uma pessoa já não pode dar uma maozinha, querem logo mais duas. Esquecem-se é que mãos... eu só tenho duas.
Isto de ser defensor dos pobres e oprimidos às vezes dá mau resultado... mas pronto, tentei ao menos seguir o ditado "Sê feliz... faz alguém feliz"

(e não é que cheguei a casa feliz!)

3 comentários:

Fox disse...

Ora bem este post começa muito bem a falar de pobre e oprimidos, mas quando começas a falar em IC-19 o caso muda de figura por completo! É que na IC-19 não existem pobres e oprimidos! Existem os porreiros (pessoal que deixa entrar!) e os lampeiros como bem lhes chamas (pessoal que aproveita tudo o que é furo para meter o carro, mesmo quando não cabe!) Mas valeu a iniciativa! É sempre bom ver que alguém tenta fazer algo de bom no mundo! Ao fim ao cabo inspiras-me, acho que amanhã quando sair de casa para ir para o trabalho, também vou tentar fazer alguém feliz!

LiZaRdU disse...

tu es o gajo mais seco q eu conheço e mais n digo!

Adrianne disse...

Bem..blog de cara lavada, sim senhores! As fotos lá no cimo estão um cadito distorcidas, mas gostei!
Eu não dou essa mãozinha na estrada porque a carta de condução na carteira tem sido só para enfeitar, mas de vez em quando tenho um surto de bondade e dou o meu lugar no comboio ou no autocarro... Mas olha que aí também há muitos lampeiros, que se valem do facto de terem "uma certa idade" como diz uma "amiga nossa" e pensam que isso lhes concede o direito de passar toda a gente nas filas para os transportes... Sabe bem fazer os outros felizes, mas a paciência também tem limites!