10 de julho de 2005

Astúcia…não te deixes apanhar!!!

Quase trepo paredes
Mas anseio uma queda perigosa
Percorro atrás de ti
Como o poeta atrás da prosa
Ajo com facilidade, não sei, tou confiante
Tanta coisa pode acabar apenas neste instante
Distante, afastada, tens estado tão ausente
Será que não compreendes o meu sentimento mais recente
Apareço…como uma luz deslumbrante que se propaga no ar
Desapareces…sem deixar rasto, és difícil de alcançar
Não tenho muita lábia mas um dia destes ainda te apanho
Se fomos feito um para o outro então porque é que eu não te tenho?
É em vão neste inferno pedir a paz Universal
É como pedir o amor eterno a uma simples mortal
Se julgas que vais mudar o mundo porque é algo que está na moda
É melhor saberes primeiro pra que lado é que ele roda
Imaginamos tanta coisa, definições que nos saem mente
Pra quê dar voltas e voltas quando no fim nos acabamos por enganar redondamente...

2 comentários:

soni disse...

..i sem krer vemos pedaços da nossa vida retratados nestas linhas cnseguidas..magnificamente! gostei muito * bjnho gand!

Jacob (you now who I am) disse...

A vida ...
esse beco sem saída, no qual damos tantas voltas que acabamos "enterrados" se não mesmo "queimados" de tanto andar de tanto caminhar...
Por vezes esquecemos que o caminho onde devemos depositar mais energia, mais tempo mais vida é o caminho interior, onde não hà becos, não hà saídas, porque afinal também não há entradas porque já lá está somos nós!
Cada ser, cada vida, cada viver...
Um dia, uma noite, por vezes uma tarde e assim se fazem momentos que eternizamos e pedimos ou rogamos que sejam esses o nosso FUTURO!

...em resposta a algo que li do pequeno Walter e me fez brotar isto da minha alma, do meu ser...